NOTÍCIAS WAVESCHECK MENU
Billabong e Rip Curl
Rumores de negociação
Por Redação Waves em 07/11/17
Jornal australiano especula que grupo detentor da Billabong pode comprar a Rip Curl.
886x642
Rip Curl pode ser adquirida por grupo detentor da Billabong, de acordo com o jornal The Australian. Foto: Ed Amorim.

 

De acordo com o caderno de negócios do conceituado jornal The Australian, o grupo Oaktree, detentor da Billabong, planeja adquirir a Rip Curl, outra gigante do mercado de surfwear.


O grupo também é responsável por controlar as ações

Confira parte do texto publicado na última semana, pelo The Australian.

“A empresa de surfwear Billabong estuda comprar a rival Rip Curl, que estava à venda pela empresa de consultoria Gresham.

Há relatos ainda de que a Billabong planeja comprar a SurfStich, empresa que chegou a ter uma parte adquirida pela marca no passado, e que recentemente chegou perto da falência.

A Rip Curl ainda é controlada pelos fundadores Doug Warbrick e Brian Singer, donos de 72% da empresa. Eles criaram o negócio em 1969, em Torquay, Victoria, Austrália, produzindo inicialmente pranchas de surfe, e depois mudando para as roupas de borracha.

O terceiro maior dono das ações da empresa é Francois Payot, que ajudou fomentar a Rip Curl na Europa. Hoje, a Rip Curl emprega 2.653 pessoas e produz roupas de borracha, roupas para neve, relógios, calçados, roupas e acessórios.

Além das operações da Rip Curl na Austrália, a empresa tem acordos de licenciamento com entidades internacionais, que produzem e distribuem os produtos da Rip Curl na América do Sul, América do Norte, Europa e Ásia.

Quando a Rip Curl foi colocada à venda, em 2013, os seus donos esperavam obter US$ 400 milhões com o negócio, mas dois anos foi avaliada em US$ 310 milhões.

O grupo teve uma receita de US$ 485 milhões no último ano financeiro e alguns estimam que poderia vender até US$ 450 milhões.

Três anos atrás, o negócio gerava US$ 23 milhões no lucro líquido anual.

A Billabong, que tem o grupo Oaktree como maior investidor, vendeu sua marca de swimwear, a Tigerlilly, para o grupo Crescent Capita, por US$ 60 milhões este ano, para aumentar seu capital.

No ano fiscal de 2017, a Billabong gerou US$ 51 milhões de lucro, mas registrou uma perda de US$ 77 milhões. Seu valor de mercado despencou de US$ 3,83 bilhões, há uma década, para US$ 122 milhões."

Fonte Tracks Mag

Veja também
OLIV Brand

OLIV Brand

Miguel Pupo assina coleção

Selo de qualidade

Selo de qualidade

Quiksilver combate a pirataria

Roxy

Roxy

Verão recheado de opções

Lost

Lost

Punk ilustra coleção

Óculos sustentável

Óculos sustentável

Modelo utiliza resíduos

The Surf Travel Co

The Surf Travel Co

Agência celebra aniversário

Wave Giant

Wave Giant

Liberdade inspira coleção

Highline Series

Highline Series

Quiksilver apresenta boardshort

Birden Co.

Birden Co.

Artista assina coleção

Inspiração californiana

Inspiração californiana

MCD lança coleção

Coleção de verão

Coleção de verão

Roxy aposta no romance

Rip Curl

Rip Curl

Nova loja em Cabo Frio

Quiksilver

Quiksilver

Coleção respira Califórnia (EUA)

Óculos escuros

Óculos escuros

Tenzig chega ao Brasil

Vacation Forever

Vacation Forever

Lost lança linha ecológica