Colete para tow-in
À prova de bombas
Por Edinho Leite em 14/09/17
Crescente busca por ondas grandes também infla o mercado de coletes de flutuação.
1080x1080
Alemão de Maresias usa o equipamento desenvolvido no Brasil em algumas das maiores ondas do mundo, como em Nazaré, Portugal. Foto: Divulgação.

 

Há 15 anos, numa garagem com três costureiras, nascia a Nob, oferecendo uma pequena linha de produtos. Pouco depois o primeiro colete foi desenvolvido para o kitesurf, novidade na época. A história com o surfe veio mais tarde, com Alemão de Maresias.

 

638x638
Duas coisas que talvez você não saiba: Edilson Assunção é o “Alemão de Maresias” e foi ele quem ajudou a Nob a desenvolver o colete de flutuação que hoje está em ação pelo mundo. Foto: Divulgação.

Se antigamente os coletes eram vendidos apenas para surfistas profissionais, hoje há surfistas “civis” e mesmo de fim de semana, que viajam ocasionalmente ou pegam ondas grandes aqui mesmo no Brasil. Essa galera quer enfrentar mares maiores do que o usual, porém, com segurança.

 

No último swell, histórico, que percorreu o Brasil, o que não faltou foi gente fazendo a cabeça em picos alternativos, clássicos, ou em parcéis e lajes oceano afora. As imagens bombaram nos sites e redes sociais e uma coisa ficou evidente: a evolução dos equipamentos vem crescendo.

 

A marca Nob, fabricante de coletes de flutuação, vem acompanhando de perto a mudança deste mercado. Edilson Assunção, o Alemão de Maresias, mandou a letra lá trás, em 2010, no início da Nob. Os primeiros coletes da marca eram desenvolvidos para a vela e wakeboard, esportes que há bastante tempo têm o hábito do uso de coletes bem difundido.

 

Alemão, amigo pessoal de Marcio Nóbrega, fundador da Nob, veio com a idéia pioneira de desenvolver um colete apropriado para o surfe de tow-in, com grande flutuação, material reforçado e alça para resgate ancorada por toda a estrutura do colete. 

 

O colete começou a ser produzido e vários big riders começaram a fazer pedidos. Nessa época Garrett McNamara experimentou o colete, gostou, usou na onda em que bateu o “recorde mundial” em Nazaré e o colete pode ser visto até hoje no ângulo da GoPro posicionada no bico da prancha dele.

Na sequência, o surfe em ondas grandes na remada começou a bombar e desenvolveram o primeiro colete de flutuação específico para essa prática. O Nob Big Surf é único no mercado até hoje. Diferente de um colete inflável, ele leva o surfista para a superfície sem depender do funcionamento de mecanismo algum. "Muitas pessoas, que tem até acesso a coletes infláveis, preferem o nosso por isso, com ele você não tem que se preocupar em fazer nada, você sobe sozinho”, diz Marcio.

1080x718
Para encarar uma craca assim, tem que ter coragem e equipamento de segurança. Sem itens como coletes de flutuação, o surfe não estaria onde está quando falamos em ondas de consequência. Alemão na Laje do Gardenal (RJ). Foto: André Schneck.

 

Além de Alemão de Maresias, o big surf tem entre seus adeptos nomes como Felipe “Gordo” Cesarano, Rodrigo Koxa, Marcelo Trekinho, Pedro Calado, Eric de Souza, Danilo Couto, Luis Roberto Formiga, Jorge e Nicole Pacelli, entre outros. Entretanto, na época do lançamento, eles eram comprados quase que exclusivamente pra quem surfava em picos fora do Brasil.

 

João Baiuka e Thiago Jacaré, big riders da Laje de Jaguaruna e do “Cardosão Clássico”, dias em que o mar quebra na praia do Cardoso acima dos 10 pés, são adeptos desses coletes há vários anos, sendo alguns dos pioneiros a usar esse equipamento por aqui. Eles relembram esse começo.

 

"Há alguns anos tiravam sarro da gente, quando começamos aparecer com essas enormes pranchas e coletes para surfar, mas hoje o que mais escutamos em beira de praia é gente perguntando onde conseguir uma ‘gunzeira' ou onde comprar um colete desses”, diz Jacaré. 

 

Equipamentos com alta tecnologia vêm sendo utilizados por mais e mais gente. Eles não são mais privilégio de profissionais e estão acessíveis para qualquer um. "Todo mundo tem, de vez em quando, a oportunidade de testar seus limites. Você tem o seu, eu tenho o meu, todo mundo tem algum. O colete não é só para surfar Jaws, é para qualquer um que queira estender seus limites. E toda vez que se pensa nisso, tem que se pensar em segurança", comenta Marcio.

A Nob estará na The Board Trader Show 2017, que rola nos dias 28, 29 e 30 de setembro, com o novo Big Surf e outros lançamentos. Para saber mais sobre a marca, acesse o site NOB ou a página da marca no Facebook.

Veja também
Hurley Printing Press

Hurley Printing Press

Novidade bomba na feira

Millennium Foam

Millennium Foam

Edgo representa no Rio

The Board Trader Show

The Board Trader Show

Evento consolidado

Chemistry Surfboards

Chemistry Surfboards

Feira dá retorno

The Board Trader Show

The Board Trader Show

Palavras do bicampeão

The Board Trader Show

The Board Trader Show

Rodrigo Silva premiado

Best in Show

Best in Show

Estrelas da feira

The Board Trader Show

The Board Trader Show

TGK Surf lança concurso

The Board Trader Show

The Board Trader Show

Evoke reforça ligação

The Board Trader Show

The Board Trader Show

Edição iniciada

Ultimate Flex

Ultimate Flex

Tecnologia na área

The Board Trader Show

The Board Trader Show

Groove, rock e pitadas de jazz

The Board Trader Show

The Board Trader Show

Hurley abre o estande

Glass Demo

Glass Demo

Alquimistas a caminho

The Best in Show

The Best in Show

Shapers reconhecidos

Timmy Patterson

Timmy Patterson

Shaper de volta ao Brasil