NOTÍCIAS WAVESCHECK MENU
Mongaguá
Tubarão preso em rede
Por Redação Waves em 21/11/17
Ameaçado de extinção, tubarão-mangona de 150 quilos é pescado acidentalmente em Mongaguá, litoral paulista.
309x412
Pescado por engano, Tubarão-mangona de 150 quilos não resiste e morre na faixa de areia. Foto: Reprodução.

Um tubarão-mangona foi pescado acidentalmente em Mongaguá, na divisa com Praia Grande (SP).

 

As imagens do animal, de cerca de 150 quilos, foram publicadas no Facebook e chamaram a atenção da população, mas, segundo especialistas, não se trata de uma espécie agressiva, apesar da aparência ameaçadora.

O animal ficou preso a uma ‘rede de espera’ o que, de acordo com Juliano Almeida, responsável pela captura junto a outros três pescadores, é um método comum e autorizado.

 

A armadilha foi lançada ao mar na sexta-feira (17) e puxada no sábado (18). Ela estava a oito quilômetros da costa, tinha 16 metros de profundidade e 200 de comprimento.

“Nossa pesca é artesanal. Saímos para pegar corvina, pescada, robalo... Às vezes, acontece de aparecer outro animal na rede. Esse, por exemplo, é o quarto tubarão-mangona, desde 2013”.

Almeida conta que arraias são mais comuns nas redes e também são as mais fáceis de soltar. Ele ressalta que os pescadores cadastrados são parceiros de entidades como o Pescador Amigo e a Biopesca, que os ensinam como proceder na reanimação e soltura de animais capturados acidentalmente.

“Tartaruga não costuma aparecer, mas sabemos como liberá-las. O mais difícil é o tubarão mesmo. Ele morde a rede e, se está vivo, não tem como soltar no mar. Precisamos levá-lo à faixa de areia”.

Foi esse o procedimento adotado por Almeida e os outros três pescadores. O animal, porém, não resistiu e morreu. A carne foi vendida para uma banca de pesca.

Sobre a espécie O tubarão-mangona está ameaçado de extinção devido à pesca, tanto esportiva como comercial, e à poluição dos mares. Ele pode atingir até 3,2 metros de comprimento e pesar até 300 quilos.

O animal, de hábitos noturnos, se alimenta de peixes, tubarões menores, crustáceos e moluscos. Comuns em águas quentes, são encontrados em regiões banhadas pelo Oceano Atlântico, uma parte do Pacífico e no mar Mediterrâneo. No Brasil, são mais vistos nos litorais do Sudeste e Sul.

A espécie, considerada de águas rasas, costuma ficar a 15 ou 25 metros de profundidade. Isso acontece porque o animal sobe à superfície para capturar ar e armazená-lo em seu estômago, permitindo assim que flutue na água.

 

Fonte A Tribuna

Veja também
Davi x Golias

Davi x Golias

Barca compra briga

Sul da Califórnia

Sul da Califórnia

Chamas ameaçam a região

Barreira artificial

Barreira artificial

Santos aposta em tecnologia

Mushroom Rock

Mushroom Rock

Pico em alerta

Reserva Mundial do Surfe

Reserva Mundial do Surfe

Noosa entra na lista

Jalama Beach

Jalama Beach

Pico novo na Califórnia (EUA)

Lixo nos oceanos

Lixo nos oceanos

Especialistas buscam soluções

À la Fanning

À la Fanning

Britânico escapa de tubarão

Punta de Lobos

Punta de Lobos

Locais salvam o pico

Regência

Regência

Rio Doce entra na Justiça

Montão de Trigo

Montão de Trigo

Barco espalha o caos

Praia da Macumba

Praia da Macumba

Ressaca sem fim

Praia da Macumba

Praia da Macumba

Prefeitura avalia estragos

Garota de Ipanema

Garota de Ipanema

Mutirão limpa o Parque

Garrafas PET

Garrafas PET

IGM dá o exemplo