NOTÍCIAS WAVESCHECK MENU
Surfar, viver e todo dia agradecer
Por Fernando Iesca em 03/07/15
Gustavo Fildzz é vocalista e um dos fundadores da banda de rock santista Aliados, fundada em 2000.
934x623
Gustavo Fildzz prepara-se paro o tubo em Fernando de Noronha (PE). Foto: Rildo Iaponã.

Gustavo Fildzz é vocalista e um dos fundadores da banda de rock santista Aliados, fundada em 2000. Aos 38 anos de idade, ele divide seu tempo entre os palcos e as ondas. Já foi atleta profissional de ginástica olímpica e pouco antes de abandonar a carreira para se dedicar à música, venceu os títulos brasileiro e pan-americano na modalidade. Em 2004 curou-se de um câncer nos rins, fato que considera uma das maiores vitórias de sua vida. Hoje em dia é no surf que ele encontra bem-estar, saúde e diversão.

Como você começou no surf?

Sou de Santos e sempre gostei do mar, mas apesar de ter nascido e vivido no litoral a vida toda, só comecei a surfar depois dos 30 anos de idade, motivado por alguns amigos surfistas e pelo desafio de aprender algo novo. Rapidamente o surf se tornou uma necessidade básica para viver bem, aliviar o stress e me conectar com Deus. 

E na música, quais suas primeiras lembranças?

Em casa sempre escutei muita música, minha mãe é formada em piano clássico e cantava na igreja. Aos 9 anos de idade tive uma breve iniciação musical com aulas de flauta doce e piano. Comecei a compor e cantar depois dos 20 anos de idade, um pouco antes de fundarmos a banda Aliados. 

Playlist by Gustavo Fildzz:

Qual a relação entre o surf e música pra você?

Hoje pra mim é total. Curto ouvir um som pra instigar o surf e curto fazer um som pra instigar o surf. Ainda vou fazer um clipe com surf. Toda session precisa de uma trilha sonora e algumas se tornam referência, como aquela session do Mark Occhilupo com Everlong do Foo Fighters, no The Occumentary, do Jack McCoy.

"Esperança" - Versão plugada:

Como você enxerga a cena do rock nacional hoje em dia?

Difícil, mas quem curte rock é fiel, tenho ido a muitos shows de rock de bandas internacionais lotados, ou seja, público consumidor de rock existe, mas acho que a mídia é cúmplice desse momento da música brasileira e a nossa cultura reflete nisso. 

934x623
Gustavo Fildzz em mais uma performance ao vivo com os Aliados. Foto: Andréia Takaishi.

E a cena do surf nacional? 

É o resultado de um trabalho a longo prazo. Enche de orgulho estar na torcida pra ver essa nova geração do surf fazendo a alegria do nosso país. 

"Pra ser feliz" - Com participação especial de Di Ferrero: 

Você tem uma história de superação muito bonita e se curou de um câncer em 2004. A música teve alguma participação neste processo de cura? O surf veio depois?

A música esteve sempre presente e até hoje essa passagem é uma reflexão para mim. Somos uma banda reconhecida pelas mensagens, naturalmente presentes em nosso DNA. Muitas de nossas músicas remetem à superação e nossos fãs se identificam com isso. Dentro do nosso repertório, posso citar "Sorrindo", "O Medo do Fim" e "Desapego" criadas antes da doença e  "Perto de Mim", "Esperança", "Águas Passadas"  e "Pra Ser Feliz" feitas depois. São canções que levam uma mensagem de superação.

O surf é uma terapia para o meu corpo, minha mente e minha alma. Apesar de ter começado a praticar depois da doença, hoje é o esporte que me ajuda a manter a saúde e o bem estar.

Discografia da banda Aliados:

Você já foi atleta de ginástica olímpica. Isso influencia de alguma maneira no teu surf?

O atleta aprende a se dedicar, se concentrar, perseverar e superar. Acho que isso ajuda no surf e na consciência corporal também, mas hoje meu maior interesse é na qualidade de vida, saúde, bem estar e diversão. 

Você surfa ou toca mais?

Estou sempre na correria com o Aliados, que é o meu trabalho. Além dos shows, sempre rolam outros compromissos, muitas vezes à noite, mas quase sempre sobra a luz do dia pro surf.

Às vezes sacrifico horas de sono para conciliar, pois sei que se perder aquele mar perfeito e sem crowd, que é raridade (risos), vou me sentir pior, mesmo tendo dormido até tarde. Hoje sou um daqueles fissurados que fica acompanhando as previsões em busca das melhores ondas pra se divertir.

"Sorrindo" e "Hoje a noite não vai acabar" - Ao vivo: 

E o teu projeto com o Pauê Aagaard?

Pauê é um grande amigo e inspiração, no surf e na vida. A convite dele fundamos a SOL Cidadão, uma Osip que tem o foco na conscientização humana. Com o Aliados também participamos de algumas ações sociais. Temos um videoclipe gravado na Casa Ronald SP em parceria com o Grupo Camaradas, que cuida de crianças e adolescentes com câncer e doamos a monetização do clipe no YouTube para o projeto. É a música "Esperança" versão plugada.

934x623
Gustavo Fildzz bota no trilho de backside em Noronha (PE). Foto: Rildo Iaponã.

 

Veja também
Ondas Sonoras

Ondas Sonoras

Novo single no ar

Ithaka

Ithaka

Instigando a queda

Pepper em SP

Pepper em SP

Waves agiliza o ingresso

Esdras Nogueira

Esdras Nogueira

Pé na estrada

Ondas Sonoras

Ondas Sonoras

Superação inspira música

Pepper

Pepper

Havaianos tocam em Sampa

Donavon em SP

Donavon em SP

Waves te leva na faixa

One Drop Fest

One Drop Fest

Donavon toca em Sampa

Bloco da Muda

Bloco da Muda

Carnaval com categoria

Music Connection

Music Connection

Uma viagem inesquecível

Boogie Naipe

Boogie Naipe

Mano Brown romantizado

Music Connection

Music Connection

Beach Party em SP

Bob Marley & The Wailers

Bob Marley & The Wailers

Edição de luxo em vinil

SP_Urban

SP_Urban

Arte digital

Ela Partiu

Ela Partiu

Clássico renovado

Hall da Fama

Hall da Fama

Escolhidos do ano