NOTÍCIAS WAVESCHECK MENU
Lagoa Surfe Arte
A grande sacada
Por Danilo Caboclo em 16/09/17
Autor do filme sobre Tiago Pires, Julio Adler é um dos convidados do Lagoa Surfe Arte, entre os dias 10 e 20 de outubro em Florianópolis (SC).
960x639
Julio Adler é um dos palestrantes do Lagoa Surfe Arte 2017. Foto: Nilton Baptista.

 

Confirmado entre os dias 10 e 20 de outubro, o Lagoa Surfe Arte 2017 apresenta o documentário “Saca – o Filme de Tiago Pires”, dirigido por Julio Adler, que também é convidado para palestrar durante a semana de programação do evento.

Chegando a sua terceira edição, entre 10 e 20 de outubro, o Lagoa Surfe Arte mantém sua proposta em apresentar ao público uma seleção do que há de melhor na cultura do surfe no Brasil e no mundo.

 

O evento que acontece todos os anos em Florianópolis (SC) vem com um festival de cinema de quatro dias, tornando-o maior festival de audiovisual surfe do país, e um dos maiores da cultura surfe, prestigiando artistas e produtores brasileiros e convidados estrangeiros.
 
Além de ter como destaque o II Festival de Curtas Metragens e uma Vernissage dentro do CIC (Centro Integrado de Cultura), a edição deste ano contará ainda com a Mostra de Longas Metragens, exibindo produções inéditas, e uma das películas dentro da programação será “Saca – o Filme de Tiago Pires”, dirigido por Júlio Adler. O filme será exibida no formato première em cinema no Brasil.
 
Além da obra sobre a vida de Tiago Pires, principal surfista português de todos os tempos, Júlio será o palestrante convidado da terceira edição do evento. Aproveitando a oportunidade nós batemos um papo com ele. Confira a entrevista abaixo.
 

960x640
O jornalista ao lado de Tiago Pires, Isabel Corte Real e João Valente na divulgação do filme "Saca – o Filme de Tiago Pires" em Portugal. Foto: Arquivo pessoal.

 

O que você vê de diferente no cinema surfe de hoje comparado com a época em que começou a fazer vídeos e filmes de surfe?
 
Começa pela facilidade dos meios e equipamentos. Hoje é muito mais fácil adquirir e publicar com frequência e qualidade. Naturalmente aumenta também a quantidade de merda no mercado. De resto, continua sendo um nicho de gente apaixonada pelo que faz e ganha quase nenhum dinheiro para sobreviver.
 
Em 2016 você foi jurado do LSA no I Festival de Curtas e tem uma vasta experiência como roteirista e produtor de obras importantes. Qual sua opinião sobre a qualidade das produções brasileiras ligadas ao surfe?
 
Loïc (Wirth) é um diretor extraordinário. De todos loucos que arriscam lançar obras audiovisuais com surfe sem o apoio da indústria de surfwear ou canais pagos, o olhar e a criatividade do Loic está muito distante do resto. Gosto do bom humor do Zanin (Bruno), adoro tudo que a turma da Surfari produz. Admiro a elegância do Pablo Aguiar e Bernardoni (Mickey). Tenho um respeito enorme pelo trabalho do Luciano Burin.
 

661x960
Retrato de Julio. Foto: Harleyson Almeida.

Como você avalia a atual fase do surfe no país? Acha que toda essa visibilidade é positiva para o esporte de maneira geral ou pode atrapalhar em alguns aspectos?
 
Estamos numa época de contradições. Nunca houve tanto dinheiro destinado ao surfe e ao mesmo tempo os surfistas competidores estão completamente abandonados. Excetuando as grandes estrelas, não há projeto significativo que inclua verba, execução, planejamento. O fato da principal revista ter falido e sumido completamente do mercado mostra o quanto a recente exposição pode ser maléfica.
 
Uma de suas últimas produções foi o documentário sobre o Tiago Pires, que será exibido este ano no LSA. O que o público pode esperar desse filme?
 
Difícil falar do próprio filme. É honesto. Conta uma história que é familiar para todos nós. Tom Carroll considera o melhor documento sobre um surfista no tour, isso tem um grande peso. A trilha sonora é quase toda original, feita exclusiva para o filme pelos virtuosos João Paulo Eliciano e Luis Nunes. Tivemos ainda a sorte e a felicidade de contar com o baterista do Sonic Youth em 3 faixas.
 
Sobre o Lagoa Surfe Arte O festival Lagoa Surfe Arte tem como grande objetivo ser vitrine da cultura surfe e promover um encontro entre os amantes do esporte e do estilo de vida.

 

Realizado pela primeira vez em janeiro de 2016, o evento chega à terceira edição como um dos maiores festivais de cultura surfe do Brasil. Idealizado por Fabrício Flores, creative shaper das alternativas pranchas Sea Cookies Handshapes, o evento vem crescendo e ganhando reconhecimento a cada edição.
 
Em outubro de 2016, o LSA apresentou seu formato anual com mais dias de programação e entrou para o calendário da cidade. Além das exposições de obras de artistas catarinenses e estrangeiros, o público que comparece ao LSA pode participar das palestras, mesas-redondas e cursos, ver e votar nos melhores filmes do Festival de Curtas e tem a oportunidade de assistir filmes inéditos na tela do cinema.

 

O conteúdo da programação cria momentos únicos e aproximação com lendas vivas, como o que aconteceu com a ilustre participação do Tito Rosemberg, uma referência para os aventureiros, mochileiros e surfistas e que encabeça a crescente lista de palestrantes do LSA. O evento reune surfistas e não-surfistas, todos os apaixonados pelo belo e pela arte. Existe muito conteúdo de qualidade dentro do universo do surfe e o Lagoa Surfe Arte é onde tudo se encontra.
 
Para saber mais, acesse o site Lagoa Surfe Arte.

Veja também
Juca de Barros

Juca de Barros

Memórias da base

Lucas Chumbinho

Lucas Chumbinho

Brilhante em Jaws

Adriano de Souza

Adriano de Souza

Chama acesa

Gerry Lopez

Gerry Lopez

Legend zen

Yago Dora

Yago Dora

Pé na elite

José Eduardo

José Eduardo

No topo do Rio

Phil Rajzman

Phil Rajzman

Foco de campeão mundial

Cleiton Félix

Cleiton Félix

Volta por cima em Ubatuba (SP)

Tom Veiga

Tom Veiga

Das ondas para as telas

Kelly Slater

Kelly Slater

Momentos de reflexão

Chloé Calmon

Chloé Calmon

Focada na missão

Adriano de Souza

Adriano de Souza

Papo com o campeão

Bruno Tessari

Bruno Tessari

Papo com o filmmaker

Margaret River

Margaret River

Papo com Mineiro

Gustavo Belloc

Gustavo Belloc

Desafios do mercado