Oi Rio Women's Pro
Semis definidas
Por João Carvalho em 13/05/17
Johanne Defay, Nikki Van Dijk, Tyler Wright e Sally Fitzgibbons estão nas semifinais do Oi Rio Women’s Pro.
Keely Andrew, Oi Rio Women's Pro 2017, Itaúna, Saquarema. Foto: WSL / Poullenot.
Keely Andrew, Oi Rio Women's Pro 2017, Itaúna, Saquarema. Foto: WSL / Poullenot.

As australianas Tyler Wright e Sally Fitzgibbons irão reeditar a decisão do título do Oi Rio Pro no ano passado na segunda semifinal que será disputada neste domingo em Saquarema, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro.

As duas venceram os últimos duelos do sábado de praia lotada em Itaúna e a batalha pela primeira vaga na grande final será entre a francesa Johanne Defay e outra australiana, Nikki Van Dijk, que parou a hexacampeã mundial Stephanie Gilmore nas quartas de final.

A primeira chamada do domingo será às 7h00, tanto para as semifinais femininas, como para a quarta fase masculina, que tem quatro brasileiros na disputa do título, os campeões mundiais Adriano de Souza e Gabriel Medina, Wiggolly Dantas e Yago Dora.

As meninas competiram depois dos homens no sábado e disputaram três rodadas completas para definir as semifinalistas do Oi Rio Women´s Pro. As condições do mar estavam bem melhores no fim de tarde e elas aproveitaram para dar um show nas quartas de final que fecharam o dia de cenário perfeito para um campeonato de surfe, com boas ondas, Sol e praia lotada, para assistir os melhores surfistas do mundo competindo na Praia de Itaúna.

A primeira vaga para as semifinais foi conquistada pela francesa Johanne Defay. Ela surfou duas ondas no critério excelente dos juízes para derrotar a sul-africana Bianca Buitendag por 17,50 a 13,44 pontos, somando notas 9,00 e 8,50. Na segunda quarta de final, Nikki Van Dijk também começou forte com 8,77, depois atacou outra onda de forma parecida para receber 8,67 e eliminar a número 1 do Jeep WSL Leader. A hexacampeã mundial Stephanie Gilmore só surfou uma boa e foi batida por uma “combination” de 17,44 pontos.

Com a quinta colocação no Oi Rio Women´s Pro, a australiana pode até perder a liderança do ranking para Sally Fitzgibbons, mas somente se ela vencer a etapa brasileira apresentada por Corona e patrocinada pela Oi em Saquarema. Então, terá que vingar a derrota sofrida para Tyler Wright na final do ano passado no Postinho da Barra Tijuca, Rio de Janeiro. E se conseguir o bicampeonato, Tyler ultrapassa Fitzgibbons e passa a dividir a dianteira na corrida pelo título mundial com Stephanie Gilmore. Já Sally consegue empatar se passar para a bateria final.

Não será fácil, pois a atual campeã mundial surfou uma onda de forma incrível no sábado, com um ataque agressivo variando as manobras com velocidade e muita pressão para tirar a maior nota da semana na Praia de Itaúna. Dois dos cinco juízes chegaram a dar nota 10 para Tyler Wright e a média ficou em 9,87. Ela já havia surfado três boas ondas que valeram 8,10, 7,97 e 7,00, para totalizar 17,97 pontos contra a norte-americana Sage Erickson nas quartas de final.

“Eu sinto que estou surfando em sintonia com a energia do campeonato e estou feliz por poder continuar disputando o título aqui no Brasil mais uma vez”, disse Tyler Wright. “Apesar do backwash, as ondas estão bem limpas e consegui mostrar um surfe de linha e força ao mesmo tempo. Minha maior nota (9,87) saiu só com duas manobras, mas foi uma onda da série que chegou na hora certa pra mim. Consegui fazer uma primeira manobra bem radical e outra com bastante pressão. Eu não sabia que ia ser uma nota tão alta, mas sabia que ia ser boa”.
?
A número 2 do Jeep WSL Leader, Sally Fitzgibbons, também confirmou o favoritismo na bateria australiana com Keely Andrew que fechou o sábado na Praia de Itaúna. Sua oponente começou melhor com nota 7,50, contra 7,33 da sua primeira onda. No entanto, Sally dominou todo o confronto com o 5,50 recebido em sua segunda apresentação, nota que depois foi trocada pelo 7,47 da última que surfou para sacramentar a vitória por 14,80 a 11,30 pontos.

“Foi uma bateria tensa, mas é sempre um prazer competir contra uma compatriota”, disse Sally Fitzgibbons. “A Keely (Andrew) surfou muito bem durante o dia, então eu sabia que não poderia dar mole pra ela. Não entraram muitas ondas na bateria com oportunidades para tirar notas altas, então isso deixou a bateria mais tensa ainda. No final, consegui pegar a melhor onda da bateria e foi ela que fez a diferença no resultado”.

Previsão das ondas (por Redação Waves)

A previsão é de que o swell de sul perca um pouco de força no domingo, mas mantenha a qualidade, com ondas de 1 metro e vento terral pela manhã, virando para um leve sudoeste / sul no decorrer da tarde.

Um novo swell está previsto para entrar na terça-feira, com ondas chegando aos 12 pés de face e possibilidade de séries maiores. Os ventos devem variar de oeste a sudoeste / sul. A tendência é condições irregulares, especialmente pela manhã.


Na quarta, a ondulação deve perder força, quebrando de 6 a 8 pés de face. A previsão é de vento leve a moderado de leste e nordeste.


Semifinais

1 Johanne Defay (FRA) x Nikki Van Dijk (AUS)

2 Tyler Wright (AUS) x Sally Fitzgibbons (AUS)

Veja também
Oi Rio Pro

Oi Rio Pro

Mineiro e Yago na semi

Oi Rio Pro

Oi Rio Pro

Mineiro na final

Oi Rio Pro

Oi Rio Pro

Mineiro é campeão

Oi Rio Pro

Oi Rio Pro

Yago derrota Medina

Oi Rio Pro

Oi Rio Pro

Confira direto de Saquarema

Oi Rio Pro

Oi Rio Pro

Duelo badalado

Oi Rio Pro

Oi Rio Pro

Guigui quer a taça

Oi Rio Pro

Oi Rio Pro

Tops de folga

Filipe Toledo

Filipe Toledo

Top sofre punição

Oi Rio Pro

Oi Rio Pro

À espera do swell

Oi Rio Pro

Oi Rio Pro

Folga garantida

Oi Rio Pro

Oi Rio Pro

Mineiro nas quartas

Oi Rio Women's Pro

Oi Rio Women's Pro

Tyler soberana

Filipe Toledo

Filipe Toledo

WSL estuda punição

Oi Rio Pro

Oi Rio Pro

Liderança ameaçada