NOTÍCIAS WAVESCHECK MENU
Open J-Bay
Show de Medina
Por Redação Waves em 15/07/17
Gabriel Medina destroi na estreia em Jeffreys Bay; Italo Ferreira e Adriano de Souza também se adiantam à terceira fase.
1400x855
Gabriel Medina arrepia na estreia em Jeffreys Bay, África do Sul. Foto: WSL / Pierre Tostee.

 

Com uma atuação sensacional, o brasileiro Gabriel Medina levantou a plateia na primeira fase do Corona Open J-Bay, etapa do CT que acontece em Jeffreys Bay, África do Sul.

Em ótimas ondas de 1,5 metro, Medina teve muita paciência para pegar a sua primeira onda e foi recompensado com uma ótima direita que rendeu 8.90 pontos.

Não demorou muito para o brasileiro pegar uma onda menor e soltar pé do início ao fim, mandando 7.23 pontos.

Inspirado, Medina encontrou outra bela onda e não deu mole, mandando três batidas antes de passar por dentro de uma longa seção no inside. Com 9.93 pontos - maior nota do dia até o momento -, o brasileiro selou de vez a vitória em J-Bay, mandando o australiano Stuart Kennedy e o compatriota Caio Ibelli para a repescagem.

"Assisti a muitas baterias nesta manhã, então procurei pegar a primeira onda grande", falou Medina. "Tive um surfe muito divertido hoje e estou amarradão por vencer a bateria. Está muito legal para surfar hoje. Tentei garantir que encontrasse as maiores ondas. É difícil para surfar de backside quando está rápido, então você tem de escolher as ondas certas, mas você nunca sabe o que J-Bay vai oferecer", finalizou o brasileiro.

Assim como Gabriel Medina, os atletas Adriano de Souza e Italo Ferreira fizeram bonito na primeira fase e também se adiantaram ao round 3.

Com 7.33 e 6.50, Adriano superou o português Frederico Morais e o compatriota Jadson André. Frederico quase virou o placar na última onda. O português buscava 5.90 e conseguiu 5.80.

1400x792
Adriano de Souza escapa de virada nos instantes finais e também segue adiante. Foto: © WSL / Cestari.

 
Já Italo não foi assustado pelos adversários de dominou o confronto com 8.00 e 7.27 nas duas melhores ondas, descartando ainda um 6.33, nota superior às pontuações obtidas pelo italiano Leo Fioravanti e pelo californiano Kolohe Andino.

Outros brasileiros que já estrearam foram Miguel Pupo, Wiggolly Dantas e Ian Gouveia, todos derrotados em suas respectivas baterias.

Wiggolly e Miguel foram superados juntos pelo australiano Joel Parkinson, autor de 6.00 e 8.23. Guigui chegou somar duas boas notas (6.00 e 7.60), enquanto Pupo teve 7.00 em sua melhor onda, mas não conseguiu trocar 3.33 por 7.24.

1200x801
Italo Ferreira joga duro na estreia em J-Bay. Foto: © WSL / Cestari.

 
Ian Gouveia, por sua vez, foi uma das vítimas do campeão mundial John John Florence. Com uma atuação sensacional, o havaiano registrou o maior somatório do dia até o momento (19.37 pontos). Nas duas melhores, Florence somou 9.70 e 9.67, descartando ainda 7.50 e 9.20.

Mesmo com uma atuação de alto nível, o sul-africano Dale Staples - vencedor da triagem local - terminou em segundo com 7.90 e 8.13, seguido por Ian, autor de 5.50 e 7.57.


"As ondas estão bombando agora, este é o melhor J-Bay que já surfei durante um campeonato", elogiou o havaiano. "Estando sozinho lá fora, você pode se posicionar exatamente onde você quer dropar, e aí você tem essas grandes 'pinturas' em sua frente, é muito louco. Minha prancha se chama 'Ghost' (Fantasma), eu surfei com uma 6'2 em Margaret River, e com uma 6'0 aqui, e desde que comecei a trabalhar nesta prancha eu não encontrei uma onda em que ela não funcionasse. Isso te dá muita confiança para surfar quando você não está trocando as pranchas", finalizou Florence.

1400x867
John John Florence registra o maior somatório do dia. Foto: © WSL / Cestari.

 
Quem também arrebentou foi o 11 vezes campeão mundial Kelly Slater. Depois de disparar na liderança com 9.10 e 7.00, Slater viu o australiano Julian Wilson reagir e chegar perto da virada com 7.17 e 8.67. O norte-americano ainda trocou sua segunda nota por 7.17 na última onda.

"Este lugar é muito bonito - tempo bom, ótimas ondas, longas paredes e muita velocidade nas ondas", disse Slater. "É um lugar fantástico. Isso é surpreendente, eu não achava que estaríamos surfando hoje, mas agora nós temos quatro ou cinco dias muito bons pela frente e teremos um ótimo campeonato. Antes da bateria, falei que se eu pegasse uma onda boa, eu comemoraria, então fiz isso", concluiu o norte-americano.

Defensor do título da etapa, o australiano Mick Fanning estreou muito bem na prova, obtendo 8.50 e 8.73 para bater seus oponentes.

Finalizando a primeira fase, o brasileiro Filipe Toledo desafiou o taitiano Michel Bourez e o havaiano Ezekiel Lau.

A batalha pegou fogo e os três atletas tiveram uma nota excelente. A melhor de todas foi de Filipinho, que arrancou 9.50 dos juízes, contra 9.00 de Bourez e 8.10 de Ezekiel.

O taitiano já tinha 7.67 na primeira onda e passou a administrar o placar, seus adversários tentavam a virada. Nos segundos finais, Bourez usou a prioridade e fez 7.37. Logo atrás veio Filipe, mas a onda não teve o mesmo potencial e o brasileiro conseguiu apenas 5.67.

A próxima chamada acontece na madrugada deste domingo, às 2:30h (horário de Brasília). A expectativa é de ótimas ondas também nos próximos dias, existindo boa possibilidade de a prova ser finalizada na terça-feira.

Veja a nota 9.93 de Gabriel Medina



Veja a nota 9.10 de Kelly Slater



John John Florence




Veja a nota 9.50 de Filipe Toledo

Veja também
Hurley Pro

Hurley Pro

Highlights das finais

Hurley Pro

Hurley Pro

Fotos das finais

Hurley Pro

Hurley Pro

Filipe é campeão

Hurley Pro

Hurley Pro

Filipe na final

Hurley Pro

Hurley Pro

Filipinho na semi

Lower Trestles

Lower Trestles

Fotos da quinta-feira

Hurley Pro

Hurley Pro

Confira direto de Trestles

Hurley Pro

Hurley Pro

Mineiro cai nas quartas

Hurley Pro

Hurley Pro

Jadson em nono

Hurley Pro

Hurley Pro

Filipinho inspirado

Hurley Pro

Hurley Pro

Kanoa bate Mick

Hurley Pro

Hurley Pro

Mineiro nas quartas

Mick x Kanoa

Mick x Kanoa

WSL repete bateria

Hurley Pro

Hurley Pro

Filipinho aceso

Hurley Pro

Hurley Pro

Jadson bate Medina

Rip Curl Pro

Rip Curl Pro

Evento garantido até 2022