Outerknown Fiji Pro
Brazucas perdem
Por Redação Waves em 13/06/17
Adriano de Souza e Wiggolly Dantas são eliminados do Outerknown Fiji Pro.
2048x1366
Adriano de Souza cai no Outerknown Fiji Pro. Foto: WSL / Ed Sloane.

 

Os brasileiros Adriano de Souza e Wiggolly Dantas estão fora do Outerknown Fiji Pro, etapa do Championship Tour que acontece em Cloudbreak. Agora, o Brasil conta com apenas dois atletas na prova - Italo Ferreira e Ian Gouveia, que já estavam garantidos na quarta fase.


Em ondas de 1,5 metro e formação regular, com muita correnteza, os duelos pendentes da terceira fase foram marcados por muitas surpresas.

Além de Adriano, que poderia assumir a liderança do ranking mundial se derrotasse o australiano Stuart Kennedy no último duelo do dia, outros fortes candidatos ao título da temporada deram adeus à competição, como o líder John John Florence e o sul-africano Jordy Smith, que divide a vice-liderança com Adriano de Souza e Owen Wright, também eliminados em Fiji.

 

O dia ainda marcou as eliminações do 11 vezes campeão mundial Kelly Slater e do tricampeão Mick Fanning.

Logo na primeira bateria do dia, Fanning caiu diante do taitiano Michel Bourez, uma das sensações do primeiro dia em Fiji.

Com notas 7.00 e 6.53, Bourez deixou o australiano precisando de 7.86 para virar.

2048x1366
Michel Bourez derrota Mick Fanning. Foto: © WSL / Cestari.

 
Em seguida, o italiano Leonardo Fioravanti derrubou o atual campeão mundial John John Florence, que também lidera o ranking desta temporada. Competindo de forma muito inteligente, Leo arrancou 8.33 e 8.50 dos juízes, dando-se ao luxo de descartar 7.57 e 7.67, notas superiores às pontuações obtidas por John John, autor de 7.00 e 6.33.

 

“As ondas estão muito divertidas e peguei um bom ritmo”, disse Leo. “Minha mãe sempre me fala que eu surfo melhor de backside, então estava pensando no que ela sempre diz e tentando espancar o lip o mais forte que podia, e deu certo. Eu me senti muito confiante. É um sonho surfar nessas condições em Cloudbreak sem ninguém mais na água”, finalizou o italiano.


John John também falou sobre a bateria. “As ondas estavam difíceis, mas Leo estava quebrando”, falou o havaiano. “Eu não estava pegando as ondas certas. A seleção de onda é definitivamente importante e acho que isso é algo que preciso trabalhar. Estou começando a descobrir - nos últimos eventos - a escolher as ondas certas. Tive meus dois descartes para o ano. Eu acredito que as coisas vão melhorar bastante. Estou aprendendo muito, empolgado e confiante para J-Bay. Acho que será muito divertido”, falou John John.

2048x1365
Leonardo Fioravanti derruba John John Florence. Foto: © WSL / Cestari.

 
Atual vice-líder do ranking, Jordy Smith foi outro que deu adeus ao evento. Smith foi presa fácil para o inspirado francês Joan Duru, que mandou 9.20 e 8.40 nas duas melhores ondas, deixando o sul-africano “em combinação”.

Onze vezes campeão mundial e exímio conhecedor da bancada de Cloudbreak, Kelly Slater foi surpreendido pelo novato australiano Connor O’Leary. Em um duelo sem ondas expressivas, Connor estava atrás no placar e conseguiu a virada com 5.57, totalizando 10.74 pontos, contra 10.34 de Slater, que até obteve a maior nota da bateria (6.67), mas não conseguiu descartar 3.67.

"É sempre duro vencer com uma nota baixa, mas estou nas nuvens", comentou O'Leary. "Eu pensei que a energia estava lá no começo, mas logo que o vento veio, ficou sem nada. Estava feliz por ter duas notas razoáveis. Cometi alguns erros nas poucas ondas em que podia ter aumentado a minha pontuação, mas estou feliz por passar", concluiu o australiano.

Slater lamentou a prematura derrota. "Não havia muito o que fazer - eu tinha prioridade, estava no lugar em que queria estar e tinha a maior nota da bateria", contou o norte-americano. "Eu passei a maior parte da bateria esperando por um 4.00, mas foi um dia complicado. Você tem visto outros caras experientes, que você espera avançar, perdendo. Tem sido uma dizimação do total dos cabeças de chave", finalizou Slater.

2048x1365
Connor O'Leary passa por Kelly Slater. Foto: © WSL / Cestari.

 
A sequência de derrotas dos atletas com lycra vermelha (que estão em melhor posição no ranking) foi interrompida por Joel Parkinson, que somou 7.77 e 7.53, contra 5.17 e 8.67 de Jeremy Flores. O francês teve a chance da virada na última onda, mas caiu ao mandar um floater na junção.

Em seguida, mais um Top 10 da elite mundial dançou em Cloudbreak. Kolohe Andino, sétimo no ranking, não resistiu a Bede Durbidge, autor de 16.10 pontos, contra 11.90 do californiano.

Na penúltima bateria do dia, Wiggolly Dantas enfrentou o havaiano Sebastian Zietz, que colocou pressão com 7.33 e 5.60. Guigui esboçou reação nos minutos finais com a melhor nota do confronto (7.63). Um juiz chegou a dar a virada para o ubatubense, que buscava 7.77, mas os demais deram uma nota abaixo do que ele precisava.

A partir daí, o brasileiro passou a buscar 5.30, mas as séries pararam de entrar em Cloudbreak e a única boa onda que veio nos segundos finais foi surfada por Zietz, que tinha a prioridade e acabou caindo na terceira manobra.

2048x1365
Sebastian Zietz bate Wiggolly Dantas. Foto: WSL / Ed Sloane.

 
Em seguida, Adriano de Souza encarou Stuart Kennedy e também se deu mal. O australiano escolheu bem as ondas e abriu boa vantagem com 8.00 e 6.83. Adriano, que até então tinha 6.17 na melhor onda, passou a crescer no outside e diminuiu a diferença com 7.33, passando a buscar 7.51.

Nos minutos finais, Stuart usou a prioridade em uma onda fraca e deixou o brasileiro livre no outside.

Nos últimos segundos, uma série despontou no horizonte e Mineiro partiu para o tudo ou nada. A primeira seção acabou engordando e o brasileiro não conseguiu encaixar uma boa rasgada, mas passou por dentro de um bom tubo na sequência, mandou um floater e uma batida na junção, completada com muita dificuldade, lutando para não cair na rasa bancada.

Depois de analisar as imagens e comparar as ondas dos atletas, a comissão julgadora deu 7.00 pontos ao brasileiro, que acabou eliminado da prova.

2048x1366
Stuart Kennedy, algoz de Adriano de Souza. Foto: WSL / Ed Sloane.

 
Previsão das ondas

A próxima chamada para avaliação das condições do mar acontece nesta terça-feira, às 16:30h (horário de Brasília).

A tendência é de que o swell perca força durante a manhã, mas uma nova ondulação de sudeste está prevista para chegar no fim da tarde.

No dia seguinte, Cloudbreak deve bombar ondas de até 4 metros de face.

O último dia da janela de espera também deve apresentar boas condições, com ondas de até 2,5 metros de face pela manhã e ganhando força no fim da tarde, quando mais um swell está previsto para entrar em Fiji.

Round 4

Ian Gouveia (BRA), Matt Wilkinson (AUS) e Julian Wilson (AUS)
Italo Ferreira (BRA), Michel Bourez (PLF) e Leo Fioravanti (ITA)

3 Joan Duru (FRA), Connor O'Leary (AUS) e Joel Parkinson (AUS)

4 Bede Durbidge (AUS), Sebastian Zietz (HAV) e Stuart Kennedy (AUS)

Veja também
Outerknown Fiji Pro

Outerknown Fiji Pro

Wilko no topo

Outerknown Fiji Pro

Outerknown Fiji Pro

Direto de Cloudbreak

Outerknown Fiji Pro

Outerknown Fiji Pro

Brazucas eliminados

Outerknown Fiji Pro

Outerknown Fiji Pro

Brazucas na quinta fase

Adriano de Souza

Adriano de Souza

Hobbie ativo

Outerknown Fiji Pro

Outerknown Fiji Pro

Gigantes caem

Outerknown Fiji Pro

Outerknown Fiji Pro

Etapa permanece adiada

Italo Ferreira

Italo Ferreira

Esforço recompensado

Outerknown Fiji Pro

Outerknown Fiji Pro

Duplo adiamento

Outerknown Fiji Pro

Outerknown Fiji Pro

A espera continua

Kelly Slater

Kelly Slater

Novo papel

Outerknown Fiji Pro

Outerknown Fiji Pro

Tops seguem de folga

Outerknown Fiji Pro

Outerknown Fiji Pro

Folga antecipada

Outerknown Fiji Pro

Outerknown Fiji Pro

Dia de folga

Outerknown Fiji Pro

Outerknown Fiji Pro

Baixas na repescagem