NOTÍCIAS WAVESCHECK MENU
Rip Curl Pro Bells
Ibelli é vice
Por Redação Waves em 19/04/17
Caio Ibelli é vice-campeão do Rip Curl Pro Bells Beach; Jordy Smith fica com o título.
1400x882
Caio Ibelli é vice-campeão do Rip Curl Pro Bells Beach. Foto: © WSL / Cestari.

 

O sul-africano Jordy Smith ficou com o título do Rip Curl Pro Bells Beach, terceira etapa do Championship Tour. Em uma final eletrizante, Jordy superou o brasileiro Caio Ibelli por 18.90 a 17.46 pontos.

Inspirado, o sul-africano conseguiu quatro notas excelentes na decisão (9.10, 8.53, 9.77 e 9.13). Caio vendeu caro a derrota e chegou a obter 9.63 em sua melhor onda, mas não conseguiu trocar 7.83 por 9.28 para virar o placar.

"Esse é um evento que a gente tem no caderninho de querer ir pra final dele. As ondas estavam alucinantes o dia inteiro, tinha tamanho, tinha força, então foi um campeonato alucinante e não tenho nem palavras", disse Caio Ibelli.

"Quando eu era um pivetinho, o Jordy (Smith) já tava fazendo sessões de vídeo, então todas essas coisas somam e criam esse momento único que estou vivendo hoje (quarta-feira). Tenho uma equipe que trabalha comigo que me dá todo o suporte, me deixando confortável para competir em todas as condições e vamos pra próxima agora, ir lá pro Rio (de Janeiro) ver a brasileirada torcendo por nós lá".

Jordy também comemorou o resultado e agora é o vice-líder do ranking mundial, que segue liderado pelo havaiano John John Florence. "Não consigo nem acreditar. Fiquei em segundo no ano passado e agora ser campeão é incrível", disse Jordy Smith. "Quando eu tirei um 9, a pressão diminuiu um pouco, mas em seguida o Caio (Ibelli) continuou atacando e vi que tinha mais trabalho pela frente. Ele é um surfista incrível e surfou muito bem esse evento todo. Eu venho tentando ganhar este campeonato há 10 anos e conseguir agora é um sentimento incrível, um grande sonho se tornando realidade para mim. Depois de alguns anos sofrendo com lesões, sinto que as peças do quebra-cabeça estão se encaixando este ano. Minha esposa e minha família estão comigo e não poderia conseguir nada disso sem o apoio deles".

1400x830
Jordy Smith faz a festa na Austrália. Foto: © WSL / Cestari.


As previsões indicavam uma quarta-feira com ondas grandes e ventos desfavoráveis em Bells Beach, mas a natureza surpreendeu e proporcionou ótimos momentos, fazendo com que a World Surf League antecipasse o término da etapa.

Na quarta fase, Caio Ibelli, John John Florence, Ezekiel Lau e Jordy Smith venceram seus adversários e avançaram direto às quartas.

A grande polêmica aconteceu na vitória de Ezekiel. O havaiano liderava a disputa com 7.90 e 8.83, mas usou a sua prioridade numa onda em que Filipe vinha surfando nos segundos finais.

Para os juízes, a sirene já havia tocado quando Ezekiel bloqueou Filipe, o que levou o havaiano a ser punido com interferência e despencar de primeiro para terceiro lugar, atrás de Filipe e Adriano de Souza.

Depois das reclamações de Ezekiel, a WSL reavaliou as imagens e optou por corrigir o resultado, levando o havaiano a avançar às quartas, em vez de Filipe.
 
Outro momento insano na quarta fase foi uma virada sensacional de John John Florence na última onda.

Com um alley oop sensacional, John John levantou a plateia e virou o placar contra o o australiano Mick Fanning, que liderava com 9.93 e 8.93.

O havaiano chegou a precisar de uma combinação de notas para reverter a situação, mas diminuiu a diferença depois de arrepiar uma onda com belas rasgadas e finalizar com um aéreo rodando na junção.

Com a nota 9.57, Florence passou a buscar 9.30 para virar. O havaiano chegou a somar 8.57, mas a situação não mudou. Na última onda, o atual campeão mundial e líder do ranking tirou um “coelho da cartola” e arrancou 9.97 dos juízes (três deles chegaram a dar nota 10).

1400x887
Adriano de Souza cai nas quartas e fica em quinto. Foto: WSL / Barripp.


Na abertura da quinta fase, o português Frederico Morais atropelou o havaiano Sebastian Zietz por 18.10 a 13.16 pontos.

Em uma batalha de alto nível, Mick Fanning derrotou Owen Wright por 18.63 a 17.60 pontos.

Na terceira bateria, Filipe Toledo desbancou Joel Parkinson pelo placar de 16.76 a 15.00 pontos.

Finalizando a rodada, Adriano de Souza travou uma batalha eletrizante com Wiggolly Dantas e levou a melhor com 18.17 pontos, contra 17.60 de Guigui.

"Deu altas ondas e foi uma bela disputa com o Wiggolly (Dantas), um cara que surfa muito, então tive que fazer meu extremo pra avançar e graças a Deus consegui", disse Adriano de Souza, após essa sua última vitória do dia. "Agora chegamos nos oito melhores do evento, tá todo mundo bem, todo mundo concentrado pra fazer seu melhor, então quem pegar as melhores ondas vai vencer".
 
Nas quartas de final, Caio Ibelli interrompeu a trajetória de Frederico Morais, que já havia eliminado os brasileiros Miguel Pupo e Gabriel Medina.

Ibelli colocou muita pressão no adversário com 8.90 e 7.10. Frederico reagiu nos minutos finais com 8.17 na melhor onda, mas o tempo foi passando e o português não conseguiu surfar nenhuma outra onda.

Na sequência, John John Florence reencontrou Mick Fanning e novamente levou a melhor, desta vez com 9.23 e 7.47, contra 8.17 e 7.60 de Mick.

Na terceira bateria, Filipe Toledo chegou a liderar o placar com 7.23 e 9.43, mas levou a virada do havaiano Ezekiel Lau, que tinha 8.83 na primeira onda e encontrou uma direita salvadora nos minutos finais para obter 9.77.

"Ele (Ezekiel Lau) foi feliz de pegar essa onda no finalzinho e não ter vindo nenhuma outra boa para mim. Mas, estou feliz por ele que quebrou aqui nesse campeonato", elogiou Filipe Toledo. "Infelizmente, não foi a meu favor essa bateria, mas estou amarradão pelo resultado. Não satisfeito, mas feliz. Agora vamos para o Brasil e vai ser bem legal estar junto com minha família, meus amigos, a gente não se vê há tempos, então vai ser muito manero e espero fazer um ótimo resultado lá também".

Quem também se deu mal foi Adriano de Souza. O brasileiro encontrou Jordy Smith e não conseguiu repetir as boas atuações das fases anteriores, somando apenas 3.60 e 6.93, contra 8.00 e 8.77 do sul-africano.

1400x879
Filipe Toledo leva virada na última onda e também perde nas quartas. Foto: WSL / Barripp.

 
As semifinais pegaram fogo. Com uma virada emocionante na última onda, Caio Ibelli derrubou John John Florence.

Depois de sair na frente com 8.90, Caio viu o adversário surfar uma belíssima onda e arrancar 9.93 dos juízes, mas recuperou a liderança com 6.40.

Não demorou muito para John John tomar a frente com 7.50 e deixar o brazuca a 8.54 da classificação.

Caio Ibelli tentou uma vez e obteve 7.17, mas o golpe fatal veio nos segundo finais. Faltando pouco mais de um minuto, o havaiano tentou ampliar a vantagem e conseguiu apenas 6.60, deixando o brasileiro sozinho no outside.

Nos últimos segundos, Caio arrepiou uma longa direita até a beira da praia e comemorou bastante. Depois de reavaliar as ondas da bateria, a comissão técnica anunciou a virada do brasileiro, autor de 8.73.

Foi a terceira vez que Caio Ibelli virou uma bateria contra John John nos instantes finais. No ano passado, o brasileiro também aprontou diante do havaiano em Bells Beach e ainda em Margaret River. Nas duas ocasiões, o havaiano tinha a prioridade e deixou o caminho livre para Ibelli conseguir a virada.

Na outra semifinal, Jordy Smith também eliminou um havaiano na última onda. Ezekiel Lau vencia o duelo com 7.97 e 7.20, mas viu Jordy - que tinha 7.93 na primeira onda - estragar a sua festa com 7.70.

2048x1366
Wiggolly Dantas, nono colocado em Bells. Foto: WSL / Barripp.

 
Resultado

1 Jordy Smith (AFR)
2 Caio Ibelli (BRA)
3 John John Florence (HAV)
3 Ezekiel Lau (HAV)
5 Adriano de Souza (BRA)
5 Filipe Toledo (BRA)
5 Mick Fanning (AUS)
5 Frederico Morais (POR)
9 Wiggolly Dantas (BRA)
9 Joel Parkinson (AUS)
9 Sebastian Zietz (HAV)
9 Owen Wright (AUS)

Ranking depois de 3 etapas

1: John John Florence (HAV) - 23.000 pontos
2: Jordy Smith (AFR) - 19.200
2: Owen Wright (AUS) - 19.200
4: Adriano de Souza (BRA) - 14.400
5: Kolohe Andino (EUA) - 13.750
6: Filipe Toledo (BRA) - 12.200
7: Caio Ibelli (BRA) - 11.500
8: Joel Parkinson (AUS) - 10.950
9: Matt Wilkinson (AUS) - 10.250
10: Sebastian Zietz (HAV) - 9.750
11: Gabriel Medina (BRA) - 8.750
11: Ezekiel Lau (HAV) - 8.750
13: Kelly Slater (EUA) - 8.700
13: Connor O´Leary (AUS) - 8.700
15: Conner Coffin (EUA) - 8.500
16: Julian Wilson (AUS) - 7.500
16: Jeremy Flores (FRA) - 7.500
16: Jack Freestone (AUS) - 7.500
19: Michel Bourez (PLF) - 7.450
19: Mick Fanning (AUS) - 7.450
19: Frederico Morais (POR) - 7.450
22: Italo Ferreira (BRA) - 6.200

Outros brasileiros

23: Wiggolly Dantas (BRA) - 5.000 pontos

24: Miguel Pupo (BRA) - 4.000
24: Ian Gouveia (BRA) - 4.000
29: Jadson André (BRA) - 2.750
33: Jessé Mendes (BRA) - 1.750
39: Samuel Pupo (BRA) - 500

Vídeo com imagens de Jordy Smith



Jordy comemora o título

Veja também
Novidades no Tour

Novidades no Tour

WSL divulga calendário

Championship Tour

Championship Tour

Ranch entra no calendário

Billabong Pipe Masters

Billabong Pipe Masters

Slater está de volta

Renato Hickel

Renato Hickel

Mudanças no Tour

World Surf League

World Surf League

Pay Per View à vista?

Rip Curl Pro Portugal

Rip Curl Pro Portugal

Fotos das finais

Championship Tour

Championship Tour

Taça cobiçada

Rip Curl Pro Portugal

Rip Curl Pro Portugal

Medina no topo

Rip Curl Pro Portugal

Rip Curl Pro Portugal

Medina reencontra Julian

Rip Curl Pro Portugal

Rip Curl Pro Portugal

Medina na semi

Rip Curl Pro Portugal

Rip Curl Pro Portugal

Líder eliminado

Rip Curl Pro Portugal

Rip Curl Pro Portugal

Confira direto de Portugal

Rip Curl Pro Portugal

Rip Curl Pro Portugal

Fotos do terceiro dia

Rip Curl Pro Portugal

Rip Curl Pro Portugal

Miguel engata a quarta

Rip Curl Pro Portugal

Rip Curl Pro Portugal

Medina nas quartas

Josh Kerr

Josh Kerr

Top anuncia aposentadoria