NOTÍCIAS WAVESCHECK MENU
DNA Salgado
O Surfe
Por Kemel Addas Neto em 22/11/17
Kemel Addas Neto, o Ne, fala sobre a magia que o surfe nos proporciona.
658x800
Para Kemel Addas Neto, os polinésios tiveram a mesma reação eufórica, sentimento de liberdade e paz que sentimos hoje em dia quando nos deparamos com este mesmo cenário oceânico. Foto: Reprodução.

Todos nós, surfistas ou simpatizantes do verdadeiro espírito do surfe, temos várias maneiras de analisar e curtir o melhor que o surfe nos proporciona.

Somos indivíduos afortunados, pois em algum momento esta paixão imensurável de surfar começou a fazer parte de nossas vidas, para nunca mais sair, certo

Este texto é apenas uma das dezenas de maneiras de contextuar nossa paixão pelo surfe. Paixão inacabável e que proporciona viver um estilo de vida único! Tenho a certeza de que nas próximas linhas existem algumas situações em que vocês se encaixam.
 
Não sabemos ao certo quando o surfe começou. Só sabemos que é um esporte com quase dois séculos e meio.

Desde sempre, o surfe representou para as pessoas que o praticam a mesma sensação de liberdade, variados sentimentos e formas de enxergar o mar que no fundo geram as famosas vibrações oceânicas.

Tenha a certeza de que há quase 250 anos, quando os primeiros polinésios foram vistos surfando, eles já se vislumbravam com a beleza das ondas quebrando e com aquele degradê de cores entre verde e azul se misturando com nuances de dourado, reflexo do Sol.

Eles tiveram a mesma reação eufórica, sentimento de liberdade e paz que sentimos hoje em dia quando nos deparamos com este mesmo cenário oceânico. Claro que não podemos deixar de mencionar as inúmeras sensações causadas por simplesmente poder deslizar sobre uma onda.

A beleza de uma onda quebrando chega a ser estonteante e sedutora de tal forma que nos puxa para dentro dela incontrolavelmente.

As manobras, os tubos ou simplesmente cortar uma onda causam as mais diversas reações nas pessoas, desde um simples gesto de positivo até os gritos mais estridentes de muita euforia e, ao sair do mar, aquela sensação de cabeça feita.

Quantas vezes tivemos dias, semanas, meses ou até anos estressantes que foram radicalmente amenizados por sessões de surfe? Quem nunca caiu na água com a intenção de recarregar as baterias ou mesmo descarregar o estresse do dia a dia? Ou se viu em uma situação sufocante e simplesmente pensou “vou surfar ”.

“Não há nada que um bom dia de surfe não cure”, não é verdade?

1400x1035
“Não há nada que um bom dia de surfe não cure”. Foto: Reprodução.

 
Muitos de nós temos nossas vidas totalmente ligadas ao surfe, de onde vieram nossos amigos, esposas, famílias, trabalho e muito mais.

O surfe mudou e muda a vida de centenas de milhares de pessoas dentro e fora d’água todos os anos. Algo inexplicável? Não, basta começar a surfar e você entenderá o que realmente quer dizer o famoso slogan “Only a surfer knows the feeling”.

Dentro d’água, como já mencionado nos parágrafos anteriores, é sempre a soma de infinitas reações, sentimentos e visões. Fora d’água, a influência do surfe está mais latente do que percebemos como no nosso jeito de se vestir, nas músicas que escutamos, na nossa cultura de forma explícita e intensa e até na maneira de nos alimentarmos. E ainda sem esquecermos que, para muitos outros, trabalhar com surfe virou um negócio sério como qualquer outro segmento profissional.

Mundialmente, a indústria do surfe gera milhares de empregos e fatura bilhões de dólares por ano.

Voltando a falar de dentro d’água, para muitos atletas o surfe virou profissão séria,
tão séria que hoje o Brasil já tem dois campeões mundiais (para vocês terem uma ideia, a Califórnia só tem um até hoje), sem contar a infinita legião de novos talentos que está chegando. Somos um celeiro natural de talentos!

1429x953
"A beleza de uma onda quebrando chega a ser estonteante e sedutora de tal forma que nos puxa para dentro dela incontrolavelmente". Foto: Ricardo Alves.

 
A magia que se renova a cada caída na água é viciante, talvez seja um dos principais motivos de termos essa constante ansiedade em estar dentro d’água, talvez isso que nos mova até o mar seja tão automático quanto bebermos um copo d’água quando temos sede.

Por mais perfeita e consistente que uma onda seja, nunca, mas nunca mesmo uma é igual a outra, nada mais motivador do que isto para querermos estar na água mais e mais!

Não importa o quanto bem você surfa, se você surfa de pranchinha, longboard, bodyboard, foil, SUP ou de peito, a magia é simplesmente estar no mar e surfar.

Um dos melhores momentos que o surfe proporciona é compartilhar com seus amigos uma caída na água, surfar e dar muitas risadas. Às vezes o mar não está tão bom e o simples fato de você estar lá no “share” com seus amigos torna uma simples sessão algo especial! Pois isso é o surfe!

Surfe sempre, mas respeitando dois pontos dos mais importantes. Regra básica: sua onda é sua onda, não rabeie a dos outros. Mantenha nossos oceanos e praias limpas.
 
Surfe, uma palavra tão curta, mas com uma força e magia gigantesca para todos nós! Significa tudo o que já descrevi acima e muito mais, que descobriremos a cada remada em direção ao surpreendente oceano.
 
Três bons conselhos:

Para quem nunca surfou, é só começar, nunca é tarde!
Para quem surfou um dia, volte a surfar, é como andar de bicicleta, você nunca esquece!
Para quem surfa, simplesmente continue surfando e boas ondas!
 
Nos vemos na água a qualquer hora. Aloha.

Veja também
DNA Salgado

DNA Salgado

The Orange County

DNA Salgado

DNA Salgado

Echo Beach, o início da mudança

DNA Salgado

DNA Salgado

Inspiração diária

DNA Salgado

DNA Salgado

Filmes de surfe

DNA Salgado

DNA Salgado

Bate-volta

DNA Salgado

DNA Salgado

Os boardshorts