Origem do surf

Estudante fabrica pranchas ecológicas

Por Marcella Silvestro em 03/12/09

Marcelo Ulysséa, estudante de oceanografia, traz ao Brasil a técnica da fabricação de prancha ecologicamente correta.

Marcelo Ulisséa exibe as pranchas ecologicamente corretas. Foto: Arquivo Pessoal.
O shaper utiliza a madeira Agave, retirada da planta já morta. Foto: Arquivo Pessoal.

O estudante de oceanografia Marcelo Ulysséa traz ao Brasil a prancha de madeira ecologicamente correta.
 
Marcelo aprendeu os segredos e as técnicas da fabricação do produto em uma passagem pelos Estados Unidos, com Gary Linden, famoso shaper norte-americano.

O estudante utiliza a madeira do tipo Agave em seus blocos e explica que ela é diferente da espécie balsa, muito conhecida na América Central.

“A Agave é mais leve e porosa, por isso os blocos feitos dela são maciços. As cores vão do amarelo claro, passando por tons de marrom até o cinza escuro, tornando as pranchas exclusivas e diferentes”, conta o shaper.

A Agave é uma planta exótica (não nativa do Brasil) e invasora (alastra-se em ambientes de mata e dunas, suprimindo a vegetação existente).

 

Os blocos são feitos a partir da madeira seca, retirada da planta já morta, portanto o meio ambiente não é degradado pela retirada da madeira.

O shape é igual ao feito em pranchas convencionais, já a laminação precisa ser feita com cuidados especiais, como um banho de resina líquida para impermeabilizar o bloco.

O processo é feito artesanalmente, desde a colheita, secagem e prensagem das toras. ”Comecei fazendo blocos para uso pessoal, mas o resultado foi muito bom e vários shapers começaram a encomendar”, afirma Marcelo, que já surfou Mavericks, EUA, com uma gunzeira 9’3” feita por ele e laminada por Jeff Clark.

Em parceria com a engenheira civil Marcella Silvestro, pós-graduada em meio ambiente, Marcelo desenvolve um projeto de pesquisa para utilização da madeira e manejo desta espécie do ambiente onde ela está causando degradação.

Por conta disto, os dois foram indicados para diversos prêmios de empreendedorismo e inovação, incluindo o de melhor projeto na categoria Indústria do Prêmio Santander 2009. Além disso, eles conseguiram uma verba da Fapesc (Fundação de Apoio à Pesquisa Científica e Tecnológica do Estado de Santa Catarina) que ajuda a transformar este hobby em um empreendimento de sucesso.

O processo de fabricação de uma prancha comum gera sete quilos de lixo tóxico (fibra de vidro, poliuretano), enquanto que no das pranchas ecológicas os resíduos são biodegradáveis, viram adubo orgânico, e podem ser digeridos por cupins e formigas.

A fábrica de blocos ecológicos começou a funcionar em novembro, em Santa Catarina. Para obter mais informações sobre as pranchas, acesse o site Agave Hunter ou envie mensagem para agavehunter@agavehunter.com.br.

 

 

Veja também
Matt Biolos

Matt Biolos

Shaper expõe no Rio

John Carper

John Carper

Shaper vem ao Brasil

Zampol Surfboards

Zampol Surfboards

Pranchas LSD no Brasil

Jamie Cheal

Jamie Cheal

Chilli retorna ao Brasil

Quiksilver Cypher Fuseflex

Quiksilver Cypher Fuseflex

Novo conceito em wetsuits

Pukas Surfboards

Pukas Surfboards

Os foguetes de Medina

Pukas Surfboards

Pukas Surfboards

Empresários visitam o Waves

Johnny Cabianca

Johnny Cabianca

Shaper vem ao Brasil

Rusty Surfboards

Rusty Surfboards

Foguetes pousam em Santos (SP)

Aerofish

Aerofish

Uma nova página no ar

Zampol Surfboards

Zampol Surfboards

Marca amplia interatividade

Bully´s Surf

Bully´s Surf

Time completo