NOTÍCIAS WAVESCHECK MENU
Bom de bico
Renascimento dos pranchões
Por Redação Waves em 02/09/10
Com a criação da Associação Brasileira de Longboard, colunista Jaime Viúdes acredita em um novo começo para os pranchões.
Pena Longboard Classic 2010, Itacimirim, Camaçari (BA). Foto: Gugah Mariano.
Pena Longboard Classic 2010, Itacimirim, Camaçari (BA). Foto: Gugah Mariano.

No último mês de agosto, dois grandes eventos marcaram importantes mudanças no rumo do longboard brasileiro.

 

Durantes as etapas baiana e pernambucana do LQS (Longboard Qualifying Series), foi fundada a Associação Brasileira de Longboard (ABL), que tem como presidente Geraldinho Cavalcante e vice o nosso general Picuruta Salazar.

 

Importante frisar que a nova entidade abrange também as categorias amadoras, e não apenas os profissionais. Ainda fazem parte da diretoria surfistas que ainda estão em plena atividade e que sempre batalharam para ver o longboard no lugar que merecia, como Amaro Matos e Alex Leco.

 

Eu particularmente não estava com vontade de me envolver agora, mas fui convidado pelo Geraldinho um pouco antes da minha bateria semifinal com o Jejé (Jefson Silva) em Maracaípe.

 

Aceitei quando vi que a galera estava engajada na diretoria e o Picuruta disposto a fazer as coisas acontecerem, pois a figura dele lá tem um peso muito grande.

 

O Leco vai ser a ligação entre os atletas e a entidade, papel importantíssimo e representado pelo cara certo. Trata-se de um atleta rodado e dedicado, com grande conhecimento dos dois lados, pois também é presidente da Associação de Surf de São Sebastião, juiz formado e entende de todas as funções que fazem um campeonato acontecer. Enfim, um cara sério respeitado por atletas e dirigentes e que sem dúvida tem nosso respaldo.

 

Como o longboard sempre foi a última prioridade da Abrasp (Associação Brasileira de Surf Profissional), há algum tempo sentimos a necessidade de criar nossa própria entidade.

 

Agora não teremos que dividir espaço com a força da pranchinha e nossos interesses serão definidos com participação efetiva de longboarders que amam a modalidade e dependem do seu crescimento para se manter no esporte.

 

LQS Em sua segunda edição, os eventos LQS no Nordeste foram um marco dos pranchões no país. O Pena Bahia Longboard Internacional ganhou status 6 estrelas, enquanto a etapa Pernambucana valeu 4 estrelas para o ranking do LQS, com os melhores surfistas do país provando que o longboard brasileiro é considerado potência mundial.

 

A nova geração veio atropelando, principalmente com o paulista Jefson Silva e o carioca Jeferson da Silva, finalistas na etapa baiana. Juntos com Leco Salazar e Rodrigo Sphaier, eles fizeram um surf completo de longboard, principalmente o Jejé, que arriscou muitos hang tens em momentos críticos para levar o caneco e os US$ 8 mil na paradisíaca praia de Itacimirim.

 

Em Pernambuco, o campeão foi o cometa Halley Batista. Discordo quando ouvi falar que foi zebra, pois além de ser local do pico (Maracaípe), é um exímio competidor e grande surfista.

 

Com uma carreira consolidada nas pranchinhas, o cabra começa a encarar o longboard como uma realidade na sua vida competitiva e acaba de exibir como pretende levar isso adiante.

 

O Jejé mais uma vez fez a final, mas sucumbiu diante de Halley. Mesmo assim foi o nome do campeonato, derrubando longboarders tarimbados e fazendo a maior nota da competição na semifinal comigo (9.50), me deixando na terceira colocação. O mais novo campeão sul-americano, Rodrigo Sphaier, juntou-se a nós no pódio do Pena Pernambuco Longboard Internacional.

 

Agora o “ET” Sphaier e o “The Flash” Jejé passam a integrar o time brasileiro no WLT (World Longboard Tour). São dois moleques diferenciados que tem tudo pra aprontar na elite, ambos são sinistros tanto no bico quanto na rabeta e não sofrem com pressões.

 

A atitude deles nos últimos campeonatos exibe maturidade e vontade de vencer baterias.  Me arrisco a dizer que só saem da elite se quiserem, nunca mais vão precisar do LQS pra garantirem suas vagas.

 

Vale registrar alguns nomes que vi arrebentando nestas duas etapas. Apesar de terem parado no meio do caminho, chamaram a atenção os saquaremenses Robledo de Oliveira e Jeremias da Silva (Mica), o pernambucano amassador de lip Reginho Nascimento, Jonas Lima e Abolição com suas patadas atômicas e toda a categoria dos super campeões Phil Rajzman, Roger Barros e “Carlito” Bahia.

 

Além desta nova geração, que se destacam entre os profissionais, há mais uma boa leva saindo do forno. Felipe Lacerda e Gabriel Nascimento estão prestes a explodir. Rafael Cavalcante, Gabriel Vitorino e Wenderson Biludo também são nomes pra serem guardados.

 

Feminino A Bahia sorriu pras meninas com ondas agradáveis para o longboard. A pernambucana Atalanta Batista passeou em Itacimirim e levou a primeira etapa do Circuito Brasileiro Profissional.

 

Na final ela derrotou a vice Fernanda Daichtman e as irmãs Jasmim e Shayana Avelino, terceira e quarta colocadas, respectivamente. Vale destacar a supremacia da Atalanta nesta etapa e a evolução das irmãs Avelino, sempre acompanhadas do técnico e pai Ricardo, que talvez seja a pessoa que mais se diverte no circuito, mesmo quando não compete. O bicho pirou com as duas no pódio.

 

Em Pernambuco a história foi diferente. Maracaípe não perdoa. Todo ano o saldo de pranchões quebrados aumenta, são dezenas! A onda é rápida e oca, se pensar muito antes de agir só consegue prejuízo.

 

Quem mais sofre nestas condições são as mulheres, que naturalmente surfam com mais suavidade, o que não combina com as características que encontramos em Maraca.

 

A paranaense criada nas águas de Matinhos, Fernanda Daichtman, venceu a bicampeã brasileira Mainá Tompson na finalíssima em bateria mulher-a-mulher.

 

A guerreira Mainá retoma seu ritmo depois da gravidez e começa a reagir no circuito, mas Fernanda exibiu maturidade em algumas situações adversas que enfrentou, pegou as ondas certas e não desperdiçou.

 

Daichtman fez uma etapa perfeita ao desbancar a líder Atalanta em casa e assumir a liderança do ranking brasileiro, que terá sua definição em novembro, durante o Petrobras Longboard Classic na praia da Macumba (RJ).

 

A briga promete ser boa entre as duas, embora outras surfistas também tenham chances!

Confira abaixo a nova direção da Associação Brasileira de Longboard

 

Presidente Geraldo Cavalcanti
Vice-Presidente Alexandre Salazar (Picuruta)
Diretor Executivo Amaro Matos
Diretor Secretário Jaime Viúdes
Diretor Jurídico Carlos Pereira
Diretor Financeiro Armando Ferreira Junior
Diretores técnicos região Sul e Sudeste Mauro Rabele
Região Norte e Nordeste Lapo Coutinho
Tour manager região Norte e Nordeste Carlos Abdalla
Região Sul e Sudeste Abílio Fernandes
Representante dos surfistas Alex Leco

Veja também
Jaime Viudes

Jaime Viudes

O pai do surf performance

Jaime Viudes

Jaime Viudes

Rivalidade histórica

Jaime Viudes

Jaime Viudes

O matuto e a coruja

Jaime Viudes

Jaime Viudes

A peça de cima

Jaime Viudes

Jaime Viudes

A grandeza do Anão

Jaime Viudes

Jaime Viudes

Evolução da espécie híbrida

Jaime Viúdes

Jaime Viúdes

O enterro do clássico

Joel Tudor

Joel Tudor

Barrado no baile

Jaime Viúdes

Jaime Viúdes

O mestre rabugento e o anão aprendiz

Jaime Viúdes

Jaime Viúdes

Nicarágua inusitada

Bom de Bico

Bom de Bico

Lisergia Clássica, Peru no foco

Bom de Bico

Bom de Bico

Cadillac das ondas

Bom de Bico

Bom de Bico

Em busca de Nuuhiwa

Bom de Bico

Bom de Bico

Maratona dos pranchões

Bom de Bico

Bom de Bico

O futuro da nação

Bom de Bico

Bom de Bico

A nova era dos pranchões