NOTÍCIAS WAVESCHECK MENU
Bom de bico
Em clima de WLT
Por Jaime Viudes em 26/10/09
Jaime Viúdes (foto) treina para etapa decisiva do WLT nas Maldivas.
Aeroporto de Malé, Maldivas. Foto: Arquivo Pessoal.
Aeroporto de Malé, Maldivas. Foto: Arquivo Pessoal.

Depois de uma maratona de competições no Brasil, com duas etapas do LQS no Nordeste e a última do brasileiro em Santos (SP), a caravana do longboard segue para as Ilhas Maldivas, onde rola a decisão do título mundial do WLT.

Antes de entrar na pilha do WLT, vale destacar a etapa do brasileiro Natural Art / New Advance Costa da Mata Atlântica de Longboard Pro.

Primeiro porque foi um evento feito por surfista, o Picuruta, que ralou o peito na parafina a vida toda e suou muita lycra de competição. Segundo porque rolaram altas ondas no Quebra-Mar, com direitas perfeitas que proporcionaram um surf de alto nível para os melhores longboarders do Brasil.

O campeão foi o Danilo Mulinha, que tirou nada menos do que quatro notas 10 durante o campeonato. Na semifinal contra o Amaro Matos, ele marcou duas notas perfeitas e igualou o recorde do Paulo Kid em eventos da Abrasp, que fez o mesmo há seis anos em Balneário Camboriú.

Na outra semi, fui feliz na disputa contra o Picuruta ao encontrar duas ondas que me renderam o passaporte para a final contra a Mula “Monstro”.

Apesar de eu conseguir um 9.40, o Danilo marcou outro 10 e ainda fez mais um 9.70 para garantir com muito brilho sua primeira vitória no ano.

Voltando ao WLT, Picuruta, Carlos Bahia e eu fomos os primeiros competidores a chegar em Pasta Point, na ilha de Chaaya, Maldivas. Saímos do Brasil no último dia 20 e aterrissamos no paraíso dia 21. Mesmo com ondas pequenas e vento desfavorável, fizemos um surf razoável em Sultan’s, uma bancada próxima que apresentava melhores condições do que Pasta Point.

Apesar das 20 horas de vôo, Picuruta garantiu nosso divertimento entre as conexões. As pranchas do Bahia não chegaram e estamos na função de resgatá-las. Nós bem que tentamos ir surfar sem ele, mas ele confiscou uma prancha do Gato Véio e impregnou nossas ondas.

Amaro, Mica, Bagé e Phil reforçam o time brazuca. O clima é de tranquilidade total, mas logo a chapa começa a esquentar com a chegada dos 32 melhores longboarders do mundo. Este ano não existe repescagem, as disputas começam com baterias homem-a-homem eliminatórias. O campeonato pode ser realizado em dois dias e as chances de termos excelentes ondas são grandes.

A partir desta segunda-feira (26/10) a competição começa e na medida do possível estarei passando na íntegra tudo o que acontece aqui em Pasta. Por enquanto não temos como fazer muitas imagens de ação, apesar do Bahia tirar algumas fotos dentro d’água. Mas em breve os fotógrafos estarão aqui e mandaremos imagens.

Veja também
Jaime Viudes

Jaime Viudes

O pai do surf performance

Jaime Viudes

Jaime Viudes

Rivalidade histórica

Jaime Viudes

Jaime Viudes

O matuto e a coruja

Jaime Viudes

Jaime Viudes

A peça de cima

Jaime Viudes

Jaime Viudes

A grandeza do Anão

Jaime Viudes

Jaime Viudes

Evolução da espécie híbrida

Jaime Viúdes

Jaime Viúdes

O enterro do clássico

Joel Tudor

Joel Tudor

Barrado no baile

Jaime Viúdes

Jaime Viúdes

O mestre rabugento e o anão aprendiz

Jaime Viúdes

Jaime Viúdes

Nicarágua inusitada

Bom de Bico

Bom de Bico

Lisergia Clássica, Peru no foco

Bom de Bico

Bom de Bico

Cadillac das ondas

Bom de Bico

Bom de Bico

Em busca de Nuuhiwa

Bom de Bico

Bom de Bico

Maratona dos pranchões

Bom de Bico

Bom de Bico

O futuro da nação

Bom de Bico

Bom de Bico

A nova era dos pranchões